A administração do Aeroporto Schiphol, de Amsterdã, Holanda, surpreendeu uma empresa de suinocultura, alguns meses atrás, ao entrar em contato para encomendar 20 porcos. O pedido, considerado “o mais estranho já recebido” por Stan Gloudemans, um dos sócios da produtora de suínos, foi feito para testar um novo projeto desenvolvido com o objetivo de dar mais segurança às aeronaves, impedindo colisões entre aves e aviões.

Os porcos foram soltos em um terreno de cinco acres próximo ao aeroporto. No local, há uma plantação de beterraba, apenas com os restos da colheita, condição que atrai muitas aves, como gansos. A função dos suínos é justamente comer essas sobras e deixar a área menos atrativa para os visitantes que chegam do céu.

Além disso, como carnívoros, eles têm o ímpeto de atacar as aves, mas não possuem velocidade para alcançá-las, portanto conseguem as espantar sem machucar. Assim, funcionam como espantalhos vivos.

O projeto foi testado durante quatro semanas, até o início de novembro. Com os dados coletados, uma análise será feita durante os próximos meses para avaliar a efetividade do método. Willemeike Koster, porta-voz do Aeroporto Schiphol, disse em entrevista à CNN que ocorreram cerca de 150 colisões entre aves e aviões em 2020. Esse tipo de acidente pode oferecer sérios perigos, principalmente se os animais forem sugados pelos motores.

Antes de encomendar os porcos, o aeroporto já vinha aplicando estratégias para tentar diminuir os riscos. Hoje, 20 controladores de aves trabalham no local utilizando tecnologias como raio laser e emissão de sons. Além disso, plantas especiais são colocadas nas áreas da região.

 

Fonte: UOL
Foto: Reprodução/Aeroporto Schiphol