Os casos relatados de coronavírus subestimam o número real de infecções, sugerem dados do governo dos Estados Unidos publicados hoje, ecoando os resultados de um estudo menor no mês passado.

O estudo do Centros para Controle e Prevenção de Doenças diz que as taxas verdadeiras de covid-19 foram ao menos 10 vezes maiores do que os casos relatados na maioria das regiões dos Estados Unidos do final de março ao início de maio.

O estudo é baseado em testes de anticorpos covid-19 realizados em amostras de sangue de rotina em 16 mil pessoas em 10 regiões dos Estados Unidos. Oficialmente, o país já registrou 3,7 milhões de casos oficiais, com 140 mil mortes.

O estudo, na maioria dos casos, detectou infecções em pessoas que podem não ter tido sintomas ou apenas manifestações leves e que nunca haviam sido submetidas a testes de coronavírus.

As taxas de infecção foram seis vezes maiores do que os casos relatados em Connecticut e 24 vezes mais altas no Missouri. Ainda assim, a maioria das pessoas nas 10 regiões não havia sido infectada.

O estudo foi publicado de forma online na JAMA Internal Medicine.

 

Fonte: UOL
Foto: Mehmet Emin Menguarslan/Anadolu Agency