As boas atuações dos times, que vêm em evolução, refletem na tabela. Os clubes cearenses estão na zona da Sul-Americana. Para quem esperava uma campanha pautada pela fuga do Z-4, a situação se mostra mais confortável. Outro ponto a considerar, de muita importância: os técnicos fazem um trabalho com muita estabilidade.

Se em anos anteriores e até mesmo em 2020, a rotatividade atormentava os comandantes, agora Guto Ferreira e Rogério Ceni podem dar continuidade ao trabalho e implantarem suas filosofias de modo mais tranquilo.

Em 2020, no comando do Ceará, Guto tem 18 jogos, sendo 11 vitórias. Está na nona colocação da Série A, com 13 pontos. O técnico conquistou o título da Copa do Nordeste com o clube e está na final do Cearense, onde vai enfrentar o Fortaleza.

Este ano, Ceni tem 30 jogos pelo Fortaleza, com 16 vitórias. Está em 10º na Série A, com 12 pontos. E levou o time à decisão do Estadual.

Com elencos bons para a temporada, os dois técnicos ganham, sobretudo, por terem elencos que não dependem apenas de um “salvador”.

No Ceará, desde a meta, muito segura com Fernando Prass, tem outros jogadores que dão sustentação às consistentes atuações, sejam os mais antigos, como Samuel Xavier, ou os mais novos, a exemplo de Cléber. Existem ainda aqueles que estavam desacreditados, mas que ganharam oportunidade com Guto e não deixaram a chance passar, como Fernando Sobral, que se firma como o “puro sangue” do treinador não à toa.

Mantendo a base de 2019, Ceni tem aqueles jogadores que são da confiança dele: Felipe Alves, Tinga, Felipe, Romarinho, Osvaldo, Wellington Paulista… Às novas caras, vem tentando dar ritmo de jogo, a exemplo de Ronald, recém-chegado ao clube. Existem ainda os que precisam mostrar mais, como David, mas que, mesmo sem gols na Série A, recebe elogios do técnico. O que, para um jogador que vem sendo cobrado pela torcida, deve ser muito reconfortante.

Para quem acompanha o futebol cearense, não é surpresa que Ceará e Fortaleza estejam hoje em boas posições na Série A, nas finais do Cearense e ainda lutando na Copa do Brasil.

O Ceará enfrenta o Brusque nesta quarta-feira pela quarta fase da competição, enquanto o Fortaleza só entra nas oitavas de final.

O clima não é bom só dentro de campo. Fora das quatro linhas, mesmo com a pandemia, as gestões profissionais e sérias dão confiança a quem lá trabalha.

Após vencer o Flamengo, o Ceará encara o Bragantino, no sábado (19), fora de casa, para seguir em uma crescente. Após empatar com o Grêmio, o Fortaleza recebe o Internacional em casa, no sábado, e mesmo contra o líder da Série A, quer beliscar pontos na Arena Castelão para seguir numa boa.

Fonte: G1
Foto: Arte Esporte